Você está aqui
Página Inicial > Destaque > Feijoada da Portela: homenagens e show de Neguinho marcaram o sábado em Madureira

Feijoada da Portela: homenagens e show de Neguinho marcaram o sábado em Madureira

Compartilhe:

A edição da Feijoada da Família Portelense que aconteceu no último sábado, 6, levou ao palco da azul e branco de Oswaldo Cruz e Madureira, como convidado especial da Velha Guarda Show, Neguinho da Beija-Flor. O intérprete da escola de Nilópolis, que começou sua apresentação homenageando os portelenses, entoando “Foi um rio que passou em minha vida”, de Paulinho da Viola, brindou o público, que fez coro com ele o tempo inteiro, com obras que foram sucesso na voz dele, como “Ângela”, sambas-enredo da atual campeã do Carnaval, além de passear por clássicos de diversos compositores.

 

O sábado também foi repleto de homenagens. A primeira foi para a Velha Guarda da Beija-Flor, vaiada durante a premiação do Sambanet mês passado por parte do público que lotava a quadra da Unidos da Tijuca, em protesto contra o título conquistado pela escola de Nilópolis no último Carnaval. Além da Galeria da Velha Guarda da Portela, integrantes do mesmo segmento do Império Serrano subiram ao palco. Florinda Rodrigues, presidente da Galeria da Velha Guarda da Portela, encheu de carinho Débora Rosa, que preside o grupo da escola de Nilópolis. Houve ainda homenagens da Galeria portelense ao presidente Serginho Procópio, ao vice, Marcos Falacon, e à rainha de bateria da Portela, Patrícia Nery.

 

Outro ícone portelense, Vilma Nascimento, considerada a maior porta-bandeira de todos os tempos, também foi reverenciada. Vilma, que comemorou 77 anos de idade recentemente, está completando sete décadas de samba. Ela recebeu porta-bandeiras de diversas agremiações, entre elas Giovanna Justo (Viradouro), Marcella Alves (Salgueiro), Selminha Sorriso (Beija-Flor) e Danielle Nascimento, filha de Vilma e atual porta-bandeira da Portela.

 

Durante a feijoada também houve apresentação dos atletas de jiu-jistu, karatê e MMA, patrocinados pela escola, que vêm conquistando vitórias no país e no exterior, levando o nome e a marca da Portela a se firmar também no cenário esportivo.

 

O Departamento Cultural da escola aproveitou a tarde de festa para inaugurar a exposição “Jovens Senhoras – oito décadas de amor”, mostrando um histórico  sobre “Cidade Maravilhosa”, hino da cidade do Rio de Janeiro, composta por André Filho em 1935, e sobre Tia Dodô, porta-bandeira do primeiro título da Portela, conquistado também há 80 anos.

 

O elenco-show da escola encerrou o evento, com Wantuir e Wander Pires cantando sambas que marcaram a história da agremiação.

Fotos: JRicardo

001

002

003

004

005

006

007

008

009

010

011

012

013

014

015

016

017

018

 

019

020

 

021

 

022

 

023

 

024

 

025

Compartilhe:

Comente este notícia

Top