in ,

Márcia Lage – Ensaio Fotográfico pro Sambarazzo

Aos 49 anos e em plena forma, Márcia Lage, carnavalesca na Mangueira, mãe de dois filhos, foi a escolhida pelo SAMBARAZZO para a edição especial deste mês em que se comemora do Dia das Mães. Márcia foi clicada por Yuri Graneiro num casarão abandonado no bairro de Santa Teresa, Centro do Rio.

Durante o ensaio, a artista, que esbanjou charme e bom humor, contou que aceitou o convite porque achou interessante se mostrar de forma como raramente é vista.

– Calça jeans, camiseta e tênis é praticamente meu uniforme. É assim que eu trabalho e é como me visto no dia a dia. Coisa rara é me ver maquiada e toda produzida desse jeito. Achei legal a idéia de mostrar meu lado mais mulherzinha (risos). Com a vida de carnavalesca, enfurnada em barracão, fica difícil se produzir toda pra ir trabalhar.

Carioca que cresceu frequentando a Praia do Flamengo, o Clube de Regatas Guanabara, em Botafogo, o Palácio do Catete, e o sítio do avô, em Jacarepaguá, Márcia começou a trabalhar no Carnaval em 1990, na Mocidade, como assistente de Renato Lage. Em 92, já assinou o desfile da verde-e-branco junto com o mestre. Há 18 anos, o ex-chefe virou marido. A dupla também trabalhou no Salgueiro, até o ano passado, quando ela partiu para a carreira solo, estreando no Império Serrano. Em 2010, Márcia, que até bem pouco tempo assinava Lavia, sobrenome do avô materno, será a primeira mulher a assinar um desfile na Estação Primeira de Mangueira.

Aos 49 anos e em plena forma, Márcia Lage, carnavalesca na Mangueira, mãe de dois filhos, foi a escolhida pelo SAMBARAZZO para a edição especial deste mês em que se comemora do Dia das Mães. Márcia foi clicada por Yuri Graneiro num casarão abandonado no bairro de Santa Teresa, Centro do Rio.
Durante o ensaio, a artista, que esbanjou charme e bom humor, contou que aceitou o convite porque achou interessante se mostrar de forma como raramente é vista.

– Calça jeans, camiseta e tênis é praticamente meu uniforme. É assim que eu trabalho e é como me visto no dia a dia. Coisa rara é me ver maquiada e toda produzida desse jeito. Achei legal a idéia de mostrar meu lado mais mulherzinha (risos). Com a vida de carnavalesca, enfurnada em barracão, fica difícil se produzir toda pra ir trabalhar.

Carioca que cresceu frequentando a Praia do Flamengo, o Clube de Regatas Guanabara, em Botafogo, o Palácio do Catete, e o sítio do avô, em Jacarepaguá, Márcia começou a trabalhar no Carnaval em 1990, na Mocidade, como assistente de Renato Lage. Em 92, já assinou o desfile da verde-e-branco junto com o mestre. Há 18 anos, o ex-chefe virou marido. A dupla também trabalhou no Salgueiro, até o ano passado, quando ela partiu para a carreira solo, estreando no Império Serrano. Em 2010, Márcia, que até bem pouco tempo assinava Lavia, sobrenome do avô materno, será a primeira mulher a assinar um desfile na Estação Primeira de Mangueira.

What do you think?

0 points
Upvote Downvote

Written by Redação TDS

Marcella Alves – Ensaio Fotográfico pro Sambarazzo

Pedro Luís fala sobre os 10 anos do Monobloco