Você está aqui
Página Inicial > Carnaval 2013 > Mocidade não empolgou ao juntar samba e rock

Mocidade não empolgou ao juntar samba e rock

Compartilhe:

Penúltima escola a pisar na Marquês de Sapucaí no domingo, a Mocidade Independente de Padre Miguel fez um desfile regular para contar o enredo “Eu vou de Mocidade com samba e Rock in Rio – Por um destino melhor”. A escola optou por um visual moderno em alegorias e fantasias, investindo alto na iluminação dos carros e utilizando uma espécie de “capim” de acetato para adereçar praticamente todas as fantasias que levou para a Avenida, com alternância de cores. A tonelada do material, importado, que a Mocidade comprou acabou tornando o conjunto de fantasias repetitivo, já que o “capim”, ainda pouco utilizado pelas escolas, acabou fazendo o mesmo efeito que, anos atrás, era obtido com as plumas, utilizadas em excesso e que caíram em desuso como principal adereço nas fantasias.

Assim como no ensaio técnico, os componentes, de uma maneira geral, cantaram bem o samba, liderados pelo talento do intérprete Luizinho Andanças. Mas a qualidade do canto não foi uniforme. A obra que serviu de trilha sonora para a passagem da verde e branco, considerada mediana entre os sambas deste ano, também não contagiou o público.

Bom o desempenho da comissão de frente liderada por Jaime Arôxa, que tinha casais fantasiados com indumentárias lembrando o surgimento do rock, tendo Serguei como destaque.

A idéia de colocar Evandro Mesquita, líder da Blitz e uma das atrações do maior festival de música do mundo, foi um acerto. O surgimento do cantor, músico e ator, empunhando uma guitarra ao lado de um percussionista tocando pandeiro, com os dois sendo erguidos por uma empilhadeira no meio da bateria, agradou. Já as fantasias de uma enorme ala de roqueiros representando os principais times de futebol carioca para recordar a edição do Rock in Rio que aconteceu no Maracanã, pareceu meio fora de propósito, soando como um artifício para o que, no popular, costuma-se definir como “encher lingüiça”.

Um dos pontos positivos do desfile foi a bateria que tem no comando os mestres Bereco e Dudu, que levantou o público. A Mocidade não teve problemas em evolução.

Fotos: Riotur

[nggallery id=154]

Compartilhe:

Comente este notícia

Deixe uma resposta

Top