Você está aqui
Página Inicial > Carnaval 2017 > Poeta Mario de Andrade é enredo de tradicional escola de samba do Grupo de Acesso de SP

Poeta Mario de Andrade é enredo de tradicional escola de samba do Grupo de Acesso de SP

Compartilhe:
Foto: Divulgação

A escola de samba, Camisa Verde e Branco, anunciou o seu enredo para o carnaval de 2018. A agremiação do Bairro da Barra Funda levará para o Anhembi o enredo em homenagem ao Poeta Mario de Andrade.

O titulo do enredo é “100% Camisa Verde e Branco carnavalizando Mário de Andrade. O berço do samba, o poeta e o herói na Paulicéia Desvairada”, assinado pelos carnavalescos Jansses Balgobin, Marcelo Tupinambá, Renato Stinn e Vaníria Nejelschi, que farão sua estreia na escola no carnaval de 2018. A Direção de Carnaval ficará a cargo de Magali dos Santos.

Mário de Andrade, poeta modernista, escritor, crítico literário, musicólogo, folclorista e ensaísta brasileiro, era secretário de cultura da cidade de São Paulo em 1933. Mario fez o poema Paulicéia Desvairada, que em seus versos comparava São Paulo a um arlequim de bronze e cobre, era folião do Cordão Camisa Verde e Branco. O Poeta morreu em 1945.

O último desfile do Camisa no Grupo Especial foi no carnaval de 2013. Já no desfile de 2017, a agremiação terminou o grupo de Acesso na quarta colocação, com o enredo “A Revolta da Chibata. Sonho, coragem e bravura. Minha história: João Cândido, um sonho de liberdade”.

Veja o comunicado da Comissão de Carnaval

Nosso missão será despertar, na memória do povo, a história de tradição e glória da Camisa Verde e Branco carnavalizando Mário de Andrade. O berço do samba, o batuque negro de raiz no alvorecer do Carnaval Paulista e o surgimento, na Barra Funda, do maior poeta e escritor brasileiro de todos os tempos, de origem negra.

Tudo isso numa amálgama que só o Carnaval é capaz de oportunizar. Trabalhar com a tendência do retrofuturismo para materializar na avenida em 2018, nos braços do povo e no coração da pátria, o swing mágico e amoroso da família verde e branco com a visão poética do gênio modernista Mário de Andrade, ambos apaixonados por São Paulo. Avisando aos passageiros e tripulantes que o Carnaval não se faz só de vitórias, mas, sobretudo, de história.

Compartilhe:

Comente este notícia

Top