in , , , ,

Presidente da LESGA tenta conseguir espaço para barracões de escolas do Acesso

Presidente da LESGA, Reginaldo Gomes também preside a Inocentes de Belford Roxo, do Acesso A

As obras de revitalização da Zona Portuária vão desabrigar escolas de samba dos grupos de Acesso A e B, que há anos ocupam uma área da Rede Ferroviária Federal, no bairro do Santo Cristo. O local, onde as agremiações construíram seus barracões para a construção de alegorias terá que ser desocupado dentro de 30 dias. A ação de reintegração de posse deveria ter ocorrido na manha da última segunda-feira, 27, quando policiais, guardas municipais, representantes da Companhia de Desenvolvimento Urbano da Região do Porto e um oficial de justiça estiveram no Carandiru – nome popular dado a área.

O presidente da Liga das Escolas de Samba dos Grupos de Acesso, Reginaldo Gomes, teve, ainda na segunda-feira, uma reunião de emergência com Antônio Pedro, secretário de Turismo do município e presidente da Riotur na tentativa de conseguir um outro espaço para que as escolas possam construir suas alegorias.

– O secretário demonstrou boa vontade em nos ajudar. A Riotur está realizando um estudo para custear aluguéis em imóveis próximos, que facilitem o transporte das alegorias para o Sambódromo. Já pesquisamos alguma coisa na Avenida Brasil e no Caju. O importante é que as escolas de samba não sejam prejudicadas, pois, além do espetáculo, existem muitas famílias que tiram seus sustentos dos barracões – comentou o presidente da LESGA.

As escolas que têm seus barracões no Carandiru são União do Parque Curicica, Unidos de Padre Miguel, Mocidade de Vicente de Carvalho, Unidos de Vila Santa Tereza, Difícil é o Nome e União de Jacarepaguá.

What do you think?

0 points
Upvote Downvote

Written by Redação TDS

Caprichosos tem nova direção de carnaval

Renascer: entrega da sinopse será no dia 4