in , , , , , , ,

Rei da selva e dos barracões

“Que velocidade” já diria Patropi em quadros hilários da Praça É Nossa e Escolinha do Professor Raimundo. Mas no caso da Estácio de Sá não há hilaridade , o papo é sério. Ao lado do Império da Tijuca foi a mais rápida a praticamente encerrar os trabalhos dentro do barracão. Por lá, o carnavalesco Amauri Santos recebeu o Tudo de Samba e mostrou toda satisfação por trabalhar numa escola que o proporcionou um trabalho facilitado:

10967759_10200269199209582_1468521663_n
Alado como os sonhos da Estácio

-Apesar das dificuldades conhecidas no acesso, tivemos um apoio muito bom do presidente e de uma direção de Carnaval atuante. Foi o ano que eu mais trabalhei com gente interessada em ajudar a terminar o trabalho. Mostro aqui minha felicidade com toda a Estácio e também na parceria com o Tarcísio, que é um guerreiro. Levamos uma vantagem que é um barracão dos melhores do grupo. Aproveitamo-nos disso. Alegorias grandes. É esperar o sábado agora – comemorou

Como não poderia deixar de ser, os estacianos e os segmentos da escola estão empolgados pela boa possibilidade de ficar com o caneco, após o vice-campeonato de 2014. Santos mais uma vez esbanja humildade e se apega na força do trabalho e felicidade geral por ele germinada:

-Não me ligo nessa coisa de já ganhou. Mas estamos todos felizes. A comunidade está empolgada, com esperança e felicidade. Modéstia a parte, foi um trabalho bem sucedido. Tarcísio e eu nos dividimos entre alegorias comigo e fantasias com ele. Tudo fechado já. Claro, estamos no acesso e não é fácil. Mas a escola se esforçou. O Roni (Um dos diretores de carnaval) nos ajuda muito, está sempre aqui. As vezes até ele quer incrementar o trabalho. Ele conhece melhor o Leziário (Nascimento, presidente) e nos dá essa luz. Tarcísio e eu ficamos acanhados em dados momentos, por se tratar de acesso e tal, mas o Roni chega lá, compra a ideia e faz acontecer. Foi um lindo trabalho – concluiu

Sem deixar o Tudo de Samba bater em retirada, Amauri Santos fez questão de nos alertar sobre o que deve chamar atenção no desfile:

– O abre-alas. Pelo tamanho, pelas surpresas, o colorido. É muito alegre, um grande visual. Que o público se embeveça! – torce

De braços abertos, de janeiro a janeiro, sou Rio, sorrio, sou Estácio de Sá É o enredo desenvolvido por Tarcísio Zanon e Amauri Santos. A Estácio será a última a desfilar, no sábado, buscando voltar ao Grupo Especial nove anos depois

Ouça o carnavalesco:

What do you think?

0 points
Upvote Downvote

Written by Redação TDS

Império Serrano agradece gentileza de Luisinho Drumond

O que que a Santa Cruz tem? Tem graça como ninguém