Você está aqui
Página Inicial > Carnaval 2012 > Imperatriz homenageou Jorge Amado no desfile que teve problemas

Imperatriz homenageou Jorge Amado no desfile que teve problemas

Compartilhe:

Com dificuldades em arrumar suas alas na concentração para dar início ao desfile, a Imperatriz Leopoldinense entrou  em frente às arquibancadas do setor 1, onde, felizmente, ainda não cabine de julgadores, deixando muitos clarões na pista. A desorganização que o público assistiu em nada fez lembrar os tempos em que a verde e branco era símbolo de organização e disciplina, época em que conquistou até um tricampeonato.

Inpsirada no livro “Capitães de Areia”, de Jorge Amado, autor homenageado no espetáculo da escola este ano, a comissão de frente comandada por Alex Neoral fez ótima apresentação, sendo ovacionada pelo público. O grupo interagia com um elemento cênico em forma de carrossel , no qual os componentes eram içados do chão e rodavam com velocidade.

O canto da escola, no entanto, não foi uniforme e as primeiras alas eram compostos por muitos  componentes que não cantavam o samba, que teve bom rendimento na voz do experiente Dominguinhos do Estácio.

Em alegorias, a escola não foi tão bem quanto em outros trabalhos apresentados por Max Lopes, carnavalesco responsável pelo desenvolvimento do enredo. Nesse quesito, o problema não foi a falta de criatividade do artista, mas sim alguns problemas de acabamento. A última alegoria, intitulada “Festa no Pelô:  100 anos de Jorge Amado”, onde estavam parentes parentes do escritor, que reproduzia a casa do homenageado, entou na Avenida com a parte de cima torta, possivelmente prejudicada no transporte do carro entre o barracão e a concentração. Por conta do problema, o destaque Nil D´Iemanjá, que seria o destaque central da alegoria, não pode ser colocado no lugar a ele destinado e desfilou no chão, à frente do carro.

As criativas fantasias que a escola levou à Avenida foram perdendo adereços ao longo do desfile, o que poderá levar à escola a ser penalizada por algum julgador.

Luíza Brunet, uma das mais belas e elegantes rainhas de bateria, brilhou, mais uma vez, à frente dos ritmistas.

 

 

Fotos: Divulgação/RIOTUR

[nggallery id=118]

Compartilhe:

Comente este notícia

Top