in , , , ,

Waldir 59: um legado da Portela

capa / Foto - O Globo

Por Kaio Sagaz

Nascido em 3 de março de 1927 e morador do Engenho de Dentro, Waldir 59 é um dos maiores ícones da história da Portela e uma lenda viva a serviço do Carnaval. Muito elegante, porém debilitado e sofrendo com uma incômoda catarata, o compositor conversou com o TUDO DE SAMBA.

Ao lado de Candeia, ele foi o maior vencedor de sambas-enredo da agremiação, na década de 50. Aos 88 anos, Waldir de Souza Pires fala com carinho de sua escola de coração.

– A Portela é minha vida, foram 21 vitórias e algumas delas com sambas de minha autoria, junto com o meu querido amigo Candeia, nos anos de 55, 56, 57, 59, e com Picolino, em 1965 – contou emocionado.

Waldir 59 na comemoração de seu aniversário de 88 anos - quadra da Portela
Waldir 59 na comemoração de seu aniversário de 88 anos, na quadra da Portela

Quando jovem, recebeu o apelido 59. A alcunha veio porque existiam três pessoas com o nome Waldir na ala de compositores da azul e branco. Assim ficou conhecido, pois morava numa casa identificada com o mesmo número descrito, próxima ao local de encontros dos portelenses. O artista falou sobre sua história, do amor pela Portela e revelou se sentir valorizado:

– Eu me sinto feliz quando vou à quadra, o portelense me respeita. Eu sempre amei a minha escola. Quando eu trabalhava como funcionário de um escritório, na década de 40, eu saia do serviço e ia compor com amigos. Na época, eu fazia paródias dos sambas famosos da Portela.

O autor se lembra do refrão de uma de suas primeiras composições:

– Quem te viu meu Deus do céu, já te conheceu. Quem te vê, onde estás não me conhece mais – cantarolou o integrante da Velha Guarda Show da Portela.

Sendo considerado um dos maiores bambas do Carnaval, ele também foi responsável por levar grandes nomes do samba para a quadra portelense. Waldir integrou Clara Nunes e Paulinho da Viola ao time de craques da escola.

Amigos para eternidade

Monarco, cinco anos mais novo, cantor, compositor e líder da Velha Guarda mais tradicional do samba, falou com carinho do amigo.

– Um grande companheiro. Ele é considerado como o número um. Sempre foi fiel à escola, disciplinado e sempre andou elegante. É um portelense de verdade – concluiu dando voz a outro contemporâneo.

Noca, 82 anos, autor do samba oficial da Portela no Carnaval 2015 e vencedor em outras seis oportunidades revelou suas inspirações:

– Quando eu comecei, ele já era estrela, foi um dos maiores ganhadores de samba-enredo na nossa época de ouro. Nós temos por ele um grande carinho – completou.

Monarco e Noca da Portela. Amigos e fãs de Waldir 59 / Foto -Amigos do samba
Monarco e Noca da Portela. Amigos e fãs de Waldir 59 / Foto -Amigos do samba

 

Sorte no Samba e no amor

Além do carinho pelo do samba, o autor é marcado por um amor inesquecível: Dona Almerinda Bohmgahrem, de 73 anos, uma antiga namorada de Waldir. Bastou conversarmos sobre o relacionamento, que o apaixonado compositor recitou uma bela frase para a amada:

– A que completa a minha vida, toda linda: Almerinda – emocionando a todos.

O namoro durou 14 anos e, hoje, fica guardado na memória. Com olhos marejados, ela fala com gratidão dos tempos de casal:

– Ele era um homem poderoso, era gente da gente. Sempre estarei presente, esse amor nunca vai acabar – declarou Almerinda.

Waldir 59 com dona Almerinda. Antigos namorados
Waldir 59 com dona Almerinda. Antigos namorados

 

What do you think?

0 points
Upvote Downvote

Written by Redação TDS

‘Meu coreógrafo tem dois empregos’

Mancha Verde renova com o casal de Mestre-Sala e Porta-Bandeira para 2016